• Jacinto Machado

    MIN 13ºMAX 31º
  • Sombrio

    MIN 15ºMAX 26º
  • Santa Rosa do Sul

    MIN 17ºMAX 22º
  • Balneário Arroio do Silva

    MIN 16ºMAX 23º
  • Araranguá

    MIN 15ºMAX 27º
  • Balneário Gaivota

    MIN 15ºMAX 26º
Ver mais

Região

18/10/2017  às 13hs43

Vídeo: Retirada de cabos marca nova fase da Ponte Hercílio Luz

Capital catarinense



Os próximos passos da restauração da Ponte Hercílio Luz foram apresentados nesta semana durante coletiva de imprensa com o governador Raimundo Colombo, em Florianópolis. Também participaram da entrevista o secretário de Estado de Infraestrutura, Luiz Fernando, o presidente do Deinfra, Wanderley Agostini, e engenheiros do Deinfra e do grupo português Teixeira Duarte. O encontro ocorreu no canteiro de obras, na cabeceira insular da ponte. Colombo fez uma avaliação dos trabalhos realizados na semana passada, quando ocorreu a primeira fase da transferência de cargas da ponte, e falou dos próximos desafios da restauração.

“Passamos por uma operação de risco na última semana, que foi vencida com total sucesso e mais rápido do que esperávamos. Ainda temos momentos desafiadores pela frente, mas estamos dentro do prazo. Dependendo de como serão os trabalhos de desmontagem das barras de olhal, podemos ganhar de três a quatro meses. Isso reduz a nossa previsão de entrega”, disse o governador.

A segunda fase do trabalho de transferência de cargas da Ponte Hercílio Luz teve início na noite desta segunda-feira, 16, e será dividida em sete etapas. Em cada uma delas, será feito o corte de quatro cabos pendurais (dois do lado continental e dois do lado insular, simultamente), chegando a um total de 28. Esta fase consiste no corte dos cabos maiores mais próximos à torre principal da Ilha e Continente. Não será necessário impedir a navegação embaixo da ponte.

A previsão é que a operação termine em, no máximo, duas semanas. Os trabalhos dependem das condições climáticas e da força do vento.  O processo tem início sempre às 22h e se estende até, aproximadamente, às 4h. Segundo o engenheiro fiscal da obra, Wenceslau Diotallévy, os cabos são cortados durante a noite e retirados durante o dia. O presidente do Deinfra, Wanderley Agostini, explica que o grau de dificuldade aumenta a cada etapa de evolução da obra. "Até o momento, estávamos trabalhando para deixar a ponte segura. Agora, chegou a hora de mudarmos as peças", disse Agostini, ressaltando que um dos momentos mais delicados será a troca das barras de olhal.