• Araranguá

    MIN 16ºMAX 27º
  • Sombrio

    MIN 16ºMAX 26º
  • Santa Rosa do Sul

    MIN 18ºMAX 24º
  • Jacinto Machado

    MIN 13ºMAX 29º
  • Balneário Arroio do Silva

    MIN 18ºMAX 25º
  • Balneário Gaivota

    MIN 16ºMAX 26º
Ver mais

Colunistas

Tiago Clezar Tiago Clezar
Cultura & opinião
VER TODAS AS MATÉRIAS
27/08/2017  às 13hs55

Eu tenho um pedido para você

E é bom você aceitar


Foto: Cisco Vasques

Foto: Cisco Vasques


Nossos pensamentos deveriam ser mais lunáticos, sem essa de fazer tudo o que é programado pelo que chamamos obviamente de sistema. Marco Aurélio, famoso imperador de Roma, disse certa vez uma frase que resume bem o significado da vida diante do que pensamos: “A nossa vida é aquilo que os nossos pensamentos fizerem dela”.

E vamos lá, você certamente não iria discutir com o imperador de Roma, alguém que governou um lugar como esse merece o nosso respeito. Lida de trás para frente, Roma é um passaporte para a imaginação. Quem entende desse sentimento sabe do que eu estou falando.

Quando nossos cérebros ainda pensavam sem depender de conexões wi-fi, homens e mulheres já agiam de forma extraordinária, superando dificuldades e desbravando os mares com um papiro. Uma de nossas maiores missões é justamente essa, viver o extraordinário, dar sentido as coisas.

Quem viver desse sentido será livre. Imagino que é algo como voar, não pela altura, se assim fosse os pilotos de aviões pulverizadores teriam meu respeito. Voar é ser livre, abrir os braços, mas sem perder a consciência. Uma vez li que em uma guerra, ao invés de atacar o inimigo com bombas, seria mais inteligente dar aos soldados LSD. A ideia é que o terror se rendesse aos risos e as armas ganhassem o chão.

Na busca por encontrar sentido em alguma coisa, fui pesquisar. Encontrei no Google que em 1938, o químico suíço Albert Hofmann descobriu o LSD. No mesmo ano, do outro lado do mundo, cientistas descobriam a fissão nuclear do urânio. Anos depois a bomba atômica foi lançada. 

Matutar sobre essas coisas pode até parecer besteira, mas faz o cérebro esquentar um pouco, é como ganhar um passaporte e viajar. Ninguém viaja sem um sentido, sem um rumo. Forrest Gump é exceção. Na busca por essas viagens, a quem pense que as drogas são o caminho. E como é difícil entender como alguém pode ser viciada em drogas em um mundo onde existe açaí. Descubra algo, mas faça valer a pena, esse pode ser o verdadeiro sentido da sua vida.

Ache um sentido para a sua vida, é só isso que eu te peço.