• Balneário Gaivota

    MIN 10ºMAX 15º
  • Jacinto Machado

    MIN MAX 17º
  • Balneário Arroio do Silva

    MIN 12ºMAX 16º
  • Araranguá

    MIN 10ºMAX 16º
  • Santa Rosa do Sul

    MIN 13ºMAX 16º
  • Sombrio

    MIN 10ºMAX 15º
Ver mais

Religião

15/02/2018  às 17hs43

Bispo lança Campanha da Fraternidade e orienta fiéis sobre a Quaresma

Fraternidade e Superação da Violência


Foto: Bibiana Pignatel

Foto: Bibiana Pignatel


Teve início oficialmente na noite desta quarta-feira de cinzas, a Campanha da Fraternidade na Diocese de Criciúma, com a missa presidida pelo bispo diocesano, Dom Jacinto Inacio Flach, na Catedral São José. A celebração eucarística com bênção e imposição das cinzas lotou a igreja, com a tradição dos fiéis de participar do momento que marca o início do tempo quaresmal.

Conforme Dom Jacinto, a CF, que neste ano tem por tema "Fraternidade e Superação da Violência" e lema "Vós sois todos irmãos" (Mt 23,58) pretende despertar uma grande reflexão e a consciência sobre um dos problemas que mais aflige o Brasil. "Nossa sociedade tem uma cultura de violência muito triste e a Igreja no Brasil, todos nós, todas as nossas comunidades, todo o povo de Deus vamos mudar, vamos começar a refletir para que essa triste realidade seja transformada. É possível que ela seja transformada, se todos nós criarmos consciência de que nós vamos mudar este quadro para que, futuramente, não tenhamos mais esse recorde de mortes", declarou o Bispo, ao se referir aos dados que elevam o país em número de mortes em comparação aos Estados Unidos e nações em guerra.

"A violência em Santa Catarina é um pouco menor do que no resto do Brasil. Criciúma e Laguna, no sul, são cidades onde a violência diminuiu", acrescentou o epíscopo, que afirmou que se todos assumissem verdadeiramente o lema da CF a violência começaria a perder sua força. Durante a homilia, Dom Jacinto recordou a violência por meio do suicídio, a violência no trânsito, a violência doméstica, a motivação pelas drogas e os homens que estão entre os grupos que mais matam, a maioria jovens, e que mais morrem, em grande parte adultos. O bispo disse que é missão das comunidades trabalhar e rezar estes temas para que possa haver mudança na sociedade.

"Onde estamos, podemos ser portadores da paz que vem de Cristo, que traz alegria e esperança aos corações e a nossa sociedade. A CF deste ano está preparando o tema que continuará a ser refletido no ano que vem, sobre a gestão pública", informou. Ao receberem as cinzas sobre a fronte, os fiéis foram orientados pelo epíscopo: "Essa conversão não é um dia só da Quaresma, é durante toda a nossa vida. Nós temos uma grande missão, que é sempre converter para Jesus Cristo. As coisas do mundo também têm força, então é uma luta diária e constante em nossa vida converter para os valores do Evangelho, para que a nossa vida possa crescer para Cristo, controlando as coisas que nos afastam dele. Que daqui a quarenta dias possamos celebrar aqui, de novo, a alegria do Cristo Ressuscitado, do Cristo que conseguiu crescer e que encontrou mais espaço na nossa vida, na nossa família e na sociedade", declarou Dom Jacinto.

A assembleia foi convidada a viver o tempo quaresmal com as práticas do jejum, da penitência, da oração e da caridade. "Fazer jejum não só de carne; não cometer exageros e fazer propósitos; ser mais paciente em casa e tolerante no trânsito", indicou o bispo, que revelou alguns de seus propósitos e jejuns durante este tempo, como exemplo para outros.


*Com a colaboração de Bibiana Pignatel