• Jacinto Machado

    MIN 13ºMAX 22º
  • Araranguá

    MIN 15ºMAX 21º
  • Balneário Gaivota

    MIN 16ºMAX 20º
  • Santa Rosa do Sul

    MIN 18ºMAX 20º
  • Balneário Arroio do Silva

    MIN 18ºMAX 20º
  • Sombrio

    MIN 16ºMAX 20º
Ver mais

Região

22/06/2018  às 17hs15

Baleias-franca já marcam presença no Litoral de SC

Espetáculo da natureza


Foto: SCPar Porto de Imbituba

Foto: SCPar Porto de Imbituba


As baleias-franca estão chegando a Santa Catarina. Tradicionais visitantes da região Sul do Brasil de julho a novembro, a espécie tem sido avistada no Litoral catarinense desde o dia 7 de junho. Antes, no dia 15 de maio, uma fêmea com filhote foi avistada no Espírito Santo, entre as praias de Itaparica e Barra do Jucu, em Vila Velha. Este foi o primeiro registro do ano em águas brasileiras, abrindo assim, extraoficialmente, a temporada 2018 de avistagens no país.

A boa nova está sendo comemorada pelo Porto de Imbituba, administrado pela SCPar Porto de Imbituba, que neste ano completa 10 anos de monitoramento aéreo e terrestre das baleias-franca e de outros mamíferos marinhos, através do Programa de Monitoramento de Cetáceos. O Programa é realizado no âmbito do Plano de Controle Ambiental (PCA) do Porto, e tem como objetivo o monitoramento dos mamíferos marinhos que visitam a região do Porto de Imbituba.

Desde sua implantação, o projeto usa a metodologia de avistagem para catalogar a localização geográfica e o comportamento desses animais, para ampliar o conhecimento acerca da ecologia das espécies frente às atividades portuárias. Como os navios que chegam a Imbituba atravessam a Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca, local de grande concentração de baleias, o monitoramento da frequência de pequenos e grandes cetáceos no entorno do porto, estudando o seu comportamento e acompanhando o tráfego de embarcações, evita as rotas de colisão e zelam pela preservação da espécie.

Sobre as baleias-franca

A histórica tradição da caça às baleias-francas em Santa Catarina quase levou a extinção da espécie na década de 1970. Apenas na década de 1980 as francas voltaram a ser observadas na costa brasileira, resultando no Decreto nº 92.185, de 20 de Dezembro de 1985, que pôs fim à caça de todas as espécies deste mamífero no Brasil, a partir de 1º de janeiro de 1986.

Avistagens realizadas esporadicamente nos anos 1990 confirmaram o retorno da espécie à região sul do Brasil. Isso motivou o governo federal a instituir, em 2000, a Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca, que se estende de Torres, no litoral norte do Rio Grande do Sul, até a região sul da Ilha de Santa Catarina.

“Elas costumam retornar sempre ao mesmo local para terem os filhotes. Todos os animais visualizados pelo monitoramento na região da APA e no entorno do Porto de Imbituba são catalogados por meio de fotografia e filmagem das calosidades que elas têm em cima da cabeça, que são únicas para cada animal, como se fosse uma digital. Com isso, podemos saber se elas retornam”, explica o oceanógrafo Gilberto Oliveira Endoh Ougo, especialista da Acquaplan.